Wednesday, August 18, 2010

Agora vai começar pra valer!!!



Quando resolví organizar o Torneio Touchdown 2010, e convidar novos times para participarem de mais um campeonato brasileiro de futebol americano seguindo uma filosofia de expansão dentro do que é a realidade do país no momento, muitos não acreditaram. O apoio da AFAB me encorajou desde o início. Alguns times declinaram do convite preferindo outros caminhos, outros entraram e pularam fora (tem gente assim também). Meu apoio aos que declinaram e a minha amizade por muitos dos seus integrantes permaneceram inalterados.

Mas 7 times, os "Sete Samurais", embarcaram comigo: Jaraguá Breakers, Curitiba Hurricanes, São José Istepôs, Ponta Grossa Phantoms, São Paulo Spartans, Tritões-Cavaliers e o (agora) Vasco da Gama Patriotas. Temos um grupo de pessoas que tem o mesmo objetivo: jogos de qualidade, com espírito esportivo, e bons espetáculos para o público que assistir. Claro, queremos mostrar para o máximo de pessoas como é diverido assistir um jogo de futebol americano, e que ótima e barata opção de lazer é para um fim de semana. Sábado é o nosso kickoff. Será apenas mais um capítulo na história do futebol americano, nesta segunda edição do Torneio Touchdown. Tudo começou com a primeira. Complemento este papo, publicando aqui a entrevista que saiu no site do Tritões. Obrigado aos que já nos apoiaram (Jayson, você está muito nesta) e aos que ainda nos apoiarão. Precisamos de todos. Precisamos de você!


Publicado originalmente em http://www.tritoes.com :

ENTREVISTA COM ANDRÉ JOSÉ ADLER

De volta galera! A entrevista de hoje é com o grande comentarista e organizador do Torneio Touchdown, André José Adler. Confiram!

*Primeiramente gostaríamos de agradecer essa entrevista e dizer que estamos muito contentes em poder estar proporciondando um grande evento que marcará a história do Futebol Americano no Estado do Espírito Santo e contar com sua ilustre presença narrando nosso jogo. Adler, vimos nas últimas semanas, diversas entrevistas nas quais você contou um pouco da sua vida, de sua trajetória até aqui no Futebol Americano e em como se tornou umas das referencias no esporte nacional com a criação do TT – Torneio Touchdown. Sendo assim, para não sermos repetitivos, vamos focar a entrevista num único ponto...a estréia! Sabemos que os torneios estaduais estão chegando ao fim e com isso grande parte dos jogadores do RJ , PR, SP e SC poderão se concentrar para o TT. O que você pensa a respeito da motivação dos times para estreiarem no TT sendo que será o último evento da maioria dos times desses estados?

Ano passado tivemos que anunciar um campeonato brasileiro de futebol americano e mostrar que o levaríamos até o fim. O que conseguimos com o TT 2009, motivou mais times a se prepararem para disputas nacionais. Acho que uma das motivações principais é o próprio prazer de poder simplesmente jogar mais partidas. Cada jogador que possui equipamento neste país o adquiriu por um custo alto, geralmente sacrificando outras prioridades e usá-lo apenas no primeiro semestre é pouco. O Torneio Touchdown lançou em 2009 oito times que se tornaram conhecidos em todo o Brasil. E se você pára e pensa, o campeão estadual de São Paulo é o Storm, o do Paraná é o Crocodiles e o de Santa Catarina é o Joinvile Gladiators. Todos times que começaram suas carreiras no TT 2009. Portanto os sete times que estreiarão em âmbito nacional no TT certamente estão motivados para mostrar o que podem fazer contra adversários de outros estados, ao mesmo tempo que buscarão um aperfeiçoamento maior para as suas equipes.

*Após os estaduais, provavelmente os times ganharão reforços de outros times do seu estado que não estão no TT. Até que ponto você acredita que um time possa se reforçar com jogadores que teoricamente não estão entrosados com a possível nova equipe?

Eu acho que isto vai depender de cada time, de cada jogador, e de cada técnico. Se você usa a palavra “reforço”, a premissa implica que é um jogador experiente e de valor . O jogo é o mesmo, muda o playbook. Isto é certamente na teoria. Na prática veremos como isto vai resultar caso a caso este ano.

*Em falar em reforços, vemos noticias semanais que a equipe dos Pats está se reforçando cada vez mais com jogadores do CB que vem chegando na sua fase final. Muitos jogadores ainda não disputaram uma partida full-pads. Qual sua opinião sobre essa mudança de modalidade do beachfootball para o full pads assim tão repentina e sem nenhum treinamento prévio?

Só posso me basear na experiência de 2009 do Imperadores. O time foi formado de modo parecido e acabou campeão após perder apenas o seu primeiro jogo. Mas a vantagem de experiência disputando na areia o Tritões também tem.

*Independente de sua opinião acima sabemos que o RJ tem o maior celeiro de atletas do Brasil e que os reforços dos Pats são jogadores diferenciados em seus times de praia. Qual sua expectativa para essa nova equipe do Rio de Janeiro? Será que surge um time carioca capaz de jogar de igual para igual com o RJ Imperadores?

Primeiro, se e eu aceitasse a premissa que o RJ tem o maior celeiro de atletas do Brasil, estaria sendo injusto para com outros estados. Mas a expectativa geral de quem acompanha a bola oval brasileira é mais ou menos esta mesma. Será que fará o mesmo sucesso do Imperadores? O Patriotas tem muitos dos mesmos ingredientes.

*Você pôde narrar um jogo de beachfootbal na final do Saquarema Bowl . Como foi a experiência de narrar um jogo assim, ao ar livre e completamente diferente do que estava acostumado?

Foi divertidíssimo! Pela primeira vez pude de fato enxergar um jogo de areia. Com o parceiro Duda Duarte estava num “poleiro”, uma plataforma que pedi para montarem na areia e que nos deu ótima visão de campo. Fora isto, percebi que o público presente era composto de jogadores de outros times e os caras do quiosque. Não precisei explicar o jogo. Fomos ótimamente tratados pelos organizadores do Saquarema Bowl e teve aquele clima gostoso de festa. E por cima de tudo isto foi de fato um bom jogo.

*Nesta mesma partida, você pôde ver pela primeira vez a equipe dos Tritões em campo, o que achou do fato de uma equipe novata no esporte, de um estado até então sem expressão alguma no FA estar na final de um campeonato tão disputado como o Saquarema Bowl? Quais os fatores que acha mais importante para uma equipe chegar tão longe em tão pouco tempo?

Começo confessando que não sabia quão novata era a equipe ou não, ou em que nível já estava o FA no ES, pois fazia menos de um ano que cheguei no Brasil. Mas o que vi no Tritões foi muita garra e bastante talento, muita vontade de se provar, um pouco de nervosismo demais talvez por isto mesmo, mas um time que realmente me deu vontade de ter no Torneio Touchdown 2010, e fiz o convite.

*No começo do ano a equipe dos Tritões venceu com facilidade o torneio Ubá Bowl, onde ganhou da equipe RJ Blaze que hoje é a base do RJ Patriotas. Aparentemente a equipe carioca vem se reforçando e treinando pesado para esta estréia, o que você espera desta partida?

Um bom duelo! Espero um jogo com muitos pontos, fair play, espírito esportivo, e um show para quem estiver assistindo. São os únicos dos 7 times do TT que vão estreiar com equipamentos. Talvez um pouco mais de erros do que o habitual pela novidade de disputarem full pads. Mas acredito que vai ser um ótimo jogo e mais um capítulo marcante na história do futebol americano no Brasil.

*O que acha que será diferente da estréia do TT no ano passado?

O jogo programado para a estréia, que seria Imperadores vs Vipers teve que ser cancelado por chuvas terríveis que castigaram Sorocaba. E ninguém ainda tinha ouvido falar muito no Torneio Touchdown. O TT 2009 foi bem experimental e foi deslanchando aos poucos. Conseguimos bastante expêriencia. Este ano estreiamos com o impacto de mostrar pela primeira vez no Espírito Santo o esporte jogado com a plenitude necessária. O time anfitrião teve tempo bastante para preparar-se como tal, o anfitrião. Isto deve aparecer. E será diferente também para mim, pois este ano narro a estréia!

*Hoje o FA está sendo cada vez mais assistido pelas pessoas e o público vem aumentando nos jogos. A equipe capixaba terá o privilégio de ser a sede da estréia do TT 2010 e sabemos que você está em contato direto com os organizadores do evento. Qual sua expectativa para o evento?

No jogo haverá um vencedor e um perdedor. Isto só saberemos depois. No evento todos serão vencedores pela conquista. Muitos membros do Tritões estão trabalhando muito em vários aspectos da organização. Acho que todos se sentirão realizados e orgulhosos de suas contribuições para o evento. Acho também que o evento dará a todos nós também uma aula para um show igual ou maior no dia 30 de outubro quando o São Paulo Spartans chegará em Vila Velha na véspera do Halloween..... Halloween Bowl?

*Para finalizar, qual sua mensagem para os capixabas, atletas ou não, para esta grande festa a ser realizada no dia 21?

Eu tive o prazer de conviver com alguns capixabas que se projetaram no Brasil: Roberto Carlos, Carlos Imperial, Claudio Tovar, Nara Leão, Stênio Garcia, Rubem Braga. Com alguns até trabalhei. Agora é a hora e a vez de começar a mostrar para o resto do país que o capixaba pode também projetar a bola oval. A festa será grande para o público que vai descobrir mais esta ótima opção de lazer no fim de semana. Espero que isto possa também beneficiar a Liga Espiritossantense, o Spartans, o White Sharks, o Antares e Red Eagles, times que disputam o estadual. O pessoal que está organizando, são os voluntários e colaboradores certamente ficarão orgulhosos pela sua participação. Pessoalmente, eu já considero abrir o Torneio Touchdown no Espírito Santo uma grande...vitória!

André José Adler – Organizador do Torneio Touchdown

2 comments:

Anonymous said...

Boa sorte aos aprtcipantes.

Dângelo Stronghorn #69

Recife Pirates

Meu futuro começa Hoje said...

Andle, fiquei muito feliz em ver que está de volta.
Sou de Brasília, e a bandeirantes chegou aqui em 87 , mas somente em 88 assisti um SB com a vitória do Redskins, fiquei apaixonado pelo jogo e assim continuei acompanhando via band, e por fim acompanhando pela epsn com a sua narração. Se você puxar em sua memoria vai lembrar nos tempos de mIRC um único torcedor dos Brows, pois é era eu!.hehe

Mudei, fiquei sem tv a cabo em 2004 fiquei por fora até ano passado. nesse meio tempo quando conseguia assistir uma partidas da NFL , NBA você não narrava mais,tão pouco as partidas de golfe, e como aquela sala do mirc tinha acabado tentei te acha na internet e vi que estava em budapeste.

Sou um grande fan seu, hoje mesmo depois de tanto tempo não consigo ver um TD sem lembrar da sua voz.
Fico feliz que esteja trabalhando no TT.
Abraço

Samuel Franco
Brasília/DF